Estudos indicam que, além de ser uma delícia, o chocolate pode ser um ótimo amigo da saúde Foto: Getty Images   O chocolate não é só uma delícia. O seu consumo moderado também oferece uma lista de benefícios. E quanto mais cacau na fórmula, melhor. Justamente no Dia do Cacau (26 de março) e às vésperas da Páscoa, confira abaixo os pontos positivos relacionados à iguaria, segundo estudos recentes.
1. Câncer de intestino
Pesquisadores da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos, divulgaram em 2008 que o chocolate pode ajudar a combater o câncer de intestino. Isso porque algumas moléculas presentes no cacau, chamadas de procianidinas, possuem propriedades antioxidantes, que serviriam para proteger as células das degenerações do tumor.
2. Bem-estar
A sensação de bem-estar causada pelo chocolate encontra respaldo na ação da endorfina e da dopamina, relacionadas ao relaxamento. Alguns cientistas afirmam que a delícia é capaz de aumentar a produção dessas substâncias.
3. Fluxo arterial
Estudos mostram que o consumo do chocolate amargo melhora o fluxo arterial e faz bem à saúde cardiovascular por diminuir a tendência de coagulação das plaquetas e de obstrução dos vasos sanguíneos. Ajuda a diminuir os níveis de LDL (colesterol ruim).
4. Saúde do coração
O chocolate tem efeitos benéficos para o coração. Cientistas da Universidade de Linkoping, na Suécia, descobriram que a versão amarga (rica em cacau) inibe uma enzima no organismo conhecida por elevar a pressão arterial. O resultado positivo é atribuído às catequinas e procianidinas, antioxidantes encontrados na iguaria.
5. Saúde cerebral
O chocolate amargo pode reduzir os danos cerebrais após um acidente vascular cerebral, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Os cientistas descobriram que um composto chamado epicatequina protege as células nervosas. Os testes foram realizados em ratos e a equipe espera que os efeitos possam ser aplicados em seres humanos.
6. Na gravidez
Chocolate durante gravidez pode ajudar a prevenir a pré-eclâmpsia (hipertensão). Uma pesquisa da Universidade Yale, nos Estados Unidos, sugere que mulheres que saboreiam a delícia ao menos cinco vezes por semana estão 40% menos propensas a desenvolver o problema do que aquelas que a consomem menos de uma vez. O composto teobromina, encontrado principalmente nas variedades amargas e meio-amargas, pode ser o responsável pelo benefício.
7. Ataques cardíacos
Pessoas que sobreviveram a ataques cardíacos e comem chocolate podem reduzir o risco de morrer por problemas do coração, segundo pesquisa realizada na Suécia. Testes mostraram que saborear o produto duas vezes por semana resultou em 66% menos chances de morrer de doença cardíaca e uma vez por semana reduziu o risco quase pela metade. Isso porque a delícia é rica em antioxidantes, que nos protege do envelhecimento causado pelos radicais livres.
8. Dores
Ingerir chocolate pode aliviar dores, de acordo com um estudo da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos. A distração de comer ou beber por prazer atuaria como um analgésico natural. Os testes foram realizados em ratos, mas os pesquisadores acreditam que o mesmo efeito ocorra em pessoas.
9. Beleza
O chocolate é um aliado da beleza também. Está presente em banhos de ofurô, massagens, máscaras e outros cosméticos. Além do alto poder hidratante, o produto combate os radicais livres, evitando a oxidação das células.
10. Desgaste físico
Dois levantamentos realizados por cientistas da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, concluíram que leite com chocolate é a melhor bebida para se recuperar da atividade física. Os benefícios estariam na quantidade de carboidratos e proteínas da mistura.
Chocolate em excesso pode ser prejudicial a saúde
   Nesta época do ano é comum que as pessoas comam mais chocolate. Mas é bom lembrar que muita gente passa o ano inteiro sem colocar um único pedaço deste tipo de doce na boca. E é justamente aí que está o perigo: o consumo exagerado de chocolate em uma única vez pode trazer sérios prejuízos à saúde.
   Eles são coloridos e chamam a atenção de adultos e crianças. Num labirinto desses ninguém quer encontrar a saída tão cedo. O estado de São Paulo é o maior consumidor de ovos de Páscoa. São quase 50 milhões de unidades – metade do que é produzido no país. No meio de tanta diversidade, é necessário alguns cuidados. “O chocolate tem uma grande quantidade de substâncias que podem trazer sérios problemas de saúde”, explica a nutricionista Vanessa Santos.
   Em excesso, chocolate engorda mesmo. Um bombom de 13 gramas tem 70 calorias. A boa notícia é que as pesquisas têm mostrado que o doce pode fazer bem à saúde. O chocolate na medida certa mantém as células jovens e a pressão arterial controlada. “Não existe uma quantidade padrão adequada para o consumo de chocolate. Vai depender de pessoa para pessoa, mas deve-se comer chocolate em pouca quantidade várias vezes e não tudo de uma única vez”, comenta Vanessa.
   Um pedaço de chocolate tem substâncias poderosas. O triptofano ajuda no desenvolvimento do feto em mulheres grávidas. O aminoácido também produz serotonina, um remédio para as tensas. A massa de cacau também tem magnésio, bom para os estressados.
   Os nutricionistas fazem um alerta, principalmente para os pais que pretendem levar seus filhos aos supermercados na hora da compra do ovo de páscoa. Por mais que as crianças peçam um determinado tipo de chocolate, é necessário ficar atento a tabela nutricional do produto. “Quanto menos valor calórico tiver o chocolate, menos prejudicial a saúde ele será”, finaliza Vanessa.