O termo “dieta” refere-se ao tipo de alimentação que uma pessoa faz, ou deve fazer, embora normalmente esteja associado à ideia de determinado regime alimentar restritivo e a adoptar apenas em alturas de doença ou por pessoas que queiram emagrecer. 
   O aparecimento contínuo de novas dietas que prometem êxito imediato e “sem sacrifícios” por parte do obeso, nada mais faz do que confirmar que nenhuma delas, apresenta um resultado eficaz a médio e longo prazo. 
   Uma boa dieta é aquela que não cause ao seguidor, transtornos metabólicos ou de saúde, que consiga incluir um programa alimentar adequado e uma mudança estável no peso do paciente e é clinicamente favorável, pois vai melhorar muito a qualidade de vida dos pacientes. 
   Atualmente, a obesidade é definida como uma doença endócrino metabólica crônica e heterogenia, com base genética e que se instala quando o paciente segue uma dieta hipercalórica, hipergordurosa e o sedentarismo. 
   Portando, alem de um plano alimentar pessoal, necessitamos de uma mudança de vida e hábitos com a incorporação na vida do paciente obeso, chegar a consciência de que o comer de maneira moderada, balanceada e cuidadosa e ser fisicamente ativo esta será a única forma de ter êxito em obter um corpo desejado, sem por em risco sua integridade física. 
   A seguir vamos apresentar algumas dietas seguidas por diversas pessoas, que com certeza vão ficar doentes em seguir estas dietas de supressão.
– Dieta da USP:
Esta dieta não foi desenvolvida por nenhum profissional da USP. 
Pode comer: presunto e ovos são os principais alimentos e estão presentes em todas as refeições, rico em gorduras e proteínas. 
Não pode comer: carboidratos ,poucos vegetais e frutas. 
Efeitos colaterais :aumento do colesterol, ácido úrico.
– Dieta da lua:
Na mudança de lua deve-se consumir somente líquidos durante o dia todo (sopas,chás e sucos), autor desconhecido. Pode comer: sucos, caldos de legumes,etc. Não pode comer: sólidos. Efeitos colaterais: fraqueza ,anemia, irritabilidade, efeito sanfona.
– Dieta das frutas:
Pode comer: somente frutas. 
Não pode comer: alimentos de origem animal e vegetais. 
Efeitos colaterais: carência de vitaminas, cálcio, ferro e proteína.
– Dieta das cores:
Pode comer: frutas, verduras e legumes de uma mesma cor durante o dia inteiro (ex.- dia verde = kiwi, abacate, alface, etc.) 
Não pode comer: alimentos de origem animal e carboidratos. 
Efeitos colaterais: anemia severa, hipovitaminoses, desnutrição, fragilidade óssea,etc.
– Dieta da sopa:
Pode comer: sopa de repolho, nabo, cenoura, salsão, cebola, tomate. 
Não pode comer: alimentos de origem animal. 
Efeitos colaterais: anemia severa, hipoproteínemia,etc.
– Dieta de Beverlly Hills: (Judy Mazel)
Pode comer: frutas, pricipalmente o abacaxi, pouca proteína e pouco carboidrato de teor glicêmico alto, por 15 dias. 
Não pode comer: alimentos de origem animal e carboidratos. 
Efeitos colaterais: fraqueza, hipoglicemia, gota, hipoproteínemia, etc.
– Dieta dos Vigilantes do Peso:
Criada por médicos, psicólogos e nutricionistas americanos. As pessoas são incentivadas a emagrecer com terapia de grupo em encontros semanais. Pode-se comer de tudo, porém as quantidades são estabelecidas. 
Os alimentos são identificados por cores: 
– perigosos (vermelhos), atenção (amarelos) e liberados (verdes), segundo a caloria que apresentam. 
Efeitos colaterais: não é uma dieta individualizada para cada pessoa isto poderá levar a estados carênciais.
– Dieta dos Shakes:
Estimula a substituição de uma refeição por uma mistura,que deve ser colocada na água ou suco ou leite (milk shake) para diminuir as calorias. 
Efeitos colaterais: Este método leva a carências nutricionais, enjoativa, monótona, efeito sanfona, anemia, hipoproteinemia.
– Dieta do Tipo Sangüineo:
Determina a dieta tendo como base o tipo sangüineo da pessoa. Descendentes de caçadores (um tipo sangüineo), tem dieta com carne,descendentes de lavradores (outro tipo sangüineo) tem uma dieta com verduras. 
Efeitos colaterais: Esta dieta não tem um fundamento científico e não é balanceada, levando a uma série de doenças carênciais.
– Dieta Vegan ou Veganismo:
Este tipo de dieta é uma filosofia de vida que surgiu na Inglaterra em 1944 e é contra a toda forma de crueldade contra os animais, isto na prática implica em não comer nada de origem animal e nem utilizar derivados animais como-lã, seda, couro, pele, artesanatos e cosméticos que contenham ingredientes do reino animal. Não aceitando a caça, a pesca, animais em circo, zoológicos, rodeios, touradas, etc. 
Permitido: -Vegetais e frutas. 
Proibidos: – Derivados animais. 
Efeitos colaterais: – Anemia megaloblastica, anemia ferropriva e hipo-proteinemia severa.etc. 
– Dieta da lombriga
Em dias alternados tomam-se capsulas que contém uma larva e um copo de um líquido esverdeado, o qual não se sabe do que é feito. 
Os vermes instalam-se no intestino da pessoa,crescem e ficam com a forma de lombrigas. 
Elas se alimentam do bolo alimentar do duodeno emagrecendo o usuário. (autor ignorado) 
Efeitos colaterais: gastroenterocolite, anemia severa, subnutrição, hipovitaminose, hipoproteínemia, retocolite ulcerativa, etc.
Curta Nossa FanPage e Compartilhe Saúde NutriDicas