Conheça a campanha internacional de conscientização contra o câncer de mama
   Na novela Amor à Vida, a personagem Silvia, interpretada por Carol Castro, acaba de passar por uma cirurgia de retirada da mama – a mastectomia – devido ao câncer de mama detectado tardiamente. Durante diversos episódios, a morena evitou procurar um especialista para tratar da doença que ela própria diagnosticou. Para que muitas mulheres não passem pela mesma situação de Silvia, é importante saber como lidar e ter a consciência de que apenas casos extremos passam pela cirurgia. Dessa forma, vários países do mundo investem em campanhas como o “Outubro Rosa”.
Pink October
   Dia 1º de outubro, começou o Outubro Rosa: um mês dedicado especialmente à conscientização do câncer de mama. O movimento que se consolidou no mundo todo surgiu nos Estados Unidos, onde haviam diversas ações isoladas para combater a doença e incentivar os exames necessários. Já no Brasil, a primeira iniciativa foi feita em 2002 com a iluminação do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, também conhecido como Obelisco do Ibirapuera. Durante todo o mês, a escultura ficou “rosa” por meio de refletores de luz. Depois disso, o movimento ganhou força e até o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, já ficou iluminado de rosa.
   O objetivo de cada ação promovida pelo Outubro Rosa e pelos colaboradores é chamar a atenção das mulheres para a doença, incentivando diagnósticos cada vez mais precoces por meio de exames específicos como a mamografia e o autoexame. Quando identificado precocemente, em estágios iniciais, o prognóstico se torna mais favorável assim como as chances de cura. Em geral, o câncer de mama não tem uma causa única, mas há alguns fatores que podem influenciar no desenvolvimento da doença, como:
+ Aumento da idade;
+ Menarca (primeira menstruação) precoce ;
+ Menopausa tardia;
+ Nunca ter engravidado;
+ Ter tido o primeiro filho depois dos 30 anos;
+ Histórico de câncer de mama na família;
+ Excesso de peso;
+ Alto consumo de álcool;
   Mas, independente dos fatores de risco, a mulher precisa ter a consciência da necessidade de se prevenir. Uma forma de estar sempre de olho do desenvolvimento de possíveis nódulos ou tumores é marcar o exame da mamografia anualmente, pois esse é o único exame capaz de detectar tumores menores do que um centímetro. Com esse tamanho ainda não é possível identificar o nódulo com a mão. Apesar disso, é importante fazer uma averiguação em casa após o banho. Confira as instruções para realizar o autoexame:
Ilustração: Fernando Dias/Colaborador
Em um espelho: coloque as mãos na cintura e observe o formato, tamanho e contorno de suas mamas (observe se estão iguais, do mesmo tamanho). Veja se existem pregas, depressões ou alterações na pele da mama, aréola e mamilo. Depois, coloque as mãos para o alto e faça a mesma coisa. Observe se as mamas estão alinhadas, assim como as aréolas e mamilos. Eles deverão sempre estar na mesma linha.
No chuveiro: ensaboe bem as mamas e axilas para facilitar o toque. Ponha o braço atrás da nuca, deixe a coluna reta e com a ponta dos dedos percorra todas as áreas da mama em movimentos circulares de fora para dentro, procurando por espessamentos ou caroços. Use a mão direita para examinar a mama esquerda e vice-versa.
Deitada: coloque um apoio sob o ombro direito (pode ser um travesseiro ou toalha) e a mão direita atrás da cabeça, e repita os toques na mama. As axilas também fazem parte do tecido mamário. Realize movimentos circulares da mama para axila, observando a presença de caroços na região.
   Por fim, pressione suavemente os mamilos e observe com cuidado a presença de secreções e a presença de lesões na sua pele sensível, assim como nas aréolas.