Horário de verão termina à meia-noite deste sábado. Relógios devem ser atrasados em uma hora em Estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste
   Não se esqueça: à meia-noite deste sábado, chega ao fim o horário de verão nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Iniciado em 21 de outubro do ano passado, ele tem como objetivo reduzir a demanda de energia no país, principalmente no horário de pico, que vai das 18h às 21h. Este é o período em que a iluminação pública é ativada e as famílias retornam para casa, e ligando aparelhos eletrônicos, como TV, ventiladores e micro-ondas. 
   A economia de energia, conforme previsão do Ministério de Minas e Energia (MME), fica em torno de 5%. Diferente da conta de luz para o consumidor, que tem uma alteração bem mais modesta, na casa de 0,5%, em média. Os benefícios da adoção da medida são redução na necessidade de construção de usinas geradoras de energia, menor carregamento em ilhas de transmissão, subestações e sistemas de distribuição.
   O horário de verão foi instituído pela primeira vez no Brasil no verão de 1931/1932, pelo então presidente Getúlio Vargas. O período de vigência é variado, mas a média nos últimos 20 anos está em torno de 120 dias.
Dicas para encarar a mudança
— Se você trabalha no dia seguinte, volte para casa cedo, mesmo sendo sábado de festa
— Deite num ambiente escuro, silencioso e com temperatura agradável
— Iluminar o quarto ao amanhecer ajuda a driblar o sono, nos primeiros dias após o fim do horário de verão
— Tente não consumir cafeína (presente no café ou no chimarrão) antes de ir deitar, pois são bebidas estimulantes
— Não faça exercícios intensos, principalmente após as 21h, porque será mais demorado para dormir
— Tente não comer demais no jantar, nem dormir sem comer
— Não tome banho muito frio e nem muito quente